segunda-feira, 11 de março de 2013

Professores enlouquecidos

Sátira à profissão docente
Nossos professores estão adoecendo...
Quando trabalhava na Escola Municipal Hugo Werneck fiz este vídeo (comédia) em “homenagem” à degradação da nossa profissão.
Preparem-se para rir. Qualquer semelhança da personagem do vídeo com a professora Márcia será uma mera coincidência (riso).
Segue o vídeo “PROFESSORES ENLOUQUECIDOS” que é uma sátira ao dia dos professores (gravado em outubro de 2010).
Link:
          Penso que temos a obrigação de lutarmos para que o direito a uma educação de qualidade seja concretizado na prática. Miguel Arroyo diz que a imagens dos professores foram quebradas. Aponta isso por que atualmente temos que pensar nossa docência em todos esses aspectos: aprendizagem versus vida social dos estudantes + vida de professores (sua vida pessoal versus vida profissional).  
         Não podemos nos esquecer de há professores que exercem a “pedagogia da facilidade”. Esses profissionais colaboram para que uma mesma prática seja perpetuada ao longo dos anos. Alguns detectam situações de bullying na escola, mas não se envolvem, entendendo não ser esse seu papel. Isto é um problema preocupante, não há dúvidas! Muitas escolas desenvolvem projetos importantes para o debate do tema. Outras se omitem diante da situação.
           Gostaria de pensar que nós professores poderíamos mudar o mundo. 
           Mas, na maioria das vezes, o professor tem uma carga horária excessiva e não consegue organizar o seu tempo para participar dos fóruns legítimos de decisões e encaminhamentos de propostas educacionais.    
          Imagine se o governo resolvesse nos pagar bem, diminuísse nossa carga horária e investisse na formação continuada em serviço etc. Mas, continuássemos a receber estudantes em situações de alta vulnerabilidade social...Pouco poderíamos fazer a não ser que o professor se envolvesse com as ações políticas do município e do Brasil como um todo. Entendo que isso é nossa função e sempre procurei fazer esse papel.
          Gostaria de pensar que todas as crianças que passam pela escola poderiam ter como viver sua cidadania plenamente.Entretanto, existem situações que precisam ser resolvidas pelo âmbito da política pública: a proletarização do trabalho docente, a falta de saneamento básico, a desnutrição, o desemprego, o acesso a moradia e à saúde etc.
Os desafios são grandes, mas as possibilidades também!
 Um beijão!
Professora Márcia Ambrósio Rodrigues Rezende

2 comentários:

  1. Maria da Conceição Silva11 de março de 2013 18:03

    Olá professora, boa noite.
    Muito interessante o seu blog. As dicas postadas são de suma importância para nossa formação.
    Gostaria de saber se posso fazer a observação dos corpos em adultos que estão estudando na EJA, pois trabalho o dia todo em área diferente da educação e está sendo muito difícil sair para observar uma escola durante o dia.
    Um abraço.
    Conceição Silva -
    Polo Camaçari

    ResponderExcluir
  2. Olá Conceição,
    Penso que esta será uma observação interessante. Outras questões como o envelhecimento corporal, a perda de movimento, a inserção do corpo diferente dentre outras deverão nortear sua postura como observadora. Agradeço pela gentileza de seu retorno.
    Um abraço,
    Professora Márcia Ambrósio

    ResponderExcluir

Olá, bem-vindo/a ao meu blog. Vamos conversar sobre aprendizagens significativas?
Professora Márcia Ambrósio